resumo poético

alguém com o seu nome

alguém com

a mesma fome
---------------
a sua lágrima espessa

desce densa

imperfeita

feito toda lembrança

do que é feita

a sua lágrima

espessa

leite

de rosa quando

se deita

excesso de sal

no canto da boca

a sua lágrima espessa

não me sai

da cabeça
-------------
meia dúzia de camelos

a um passo do poço

deus na boca do louco

pode parecer pouco

três luas de trégua

qualquer medida

sem régua

uma estrela no teto

o infinito

a meio

metro

o perto é bem mais perto

Língua que morde

diz que o amor não morde

e mostra os dentes

pinta o apocalipse

de cor-de-rosa

e quase contente

diz que entende

esse the end

de um jeito

diferente

diz amém mas não mente

conta que aprendeu

tudo com o pai

e isso cai tão bem

para uma mulher

essa mulher

diz que o amor

não morde

e ainda

morde
 

a língua

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]